Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 997

Transexualidade: uma luta emancipatória

Título: Transexualidade: uma luta emancipatória
Autor(es): F. F. Silva
Ano: 2015
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 26
Número: 2
Páginas: 53-58
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 2236-0530
Palavras-chave: transexualidade; autonomia; emancipação; biopoder; colonização; transsexuality; autonomy; emancipation; biopower; colonization
Língua: Portuguese

Resumo: Esse trabalho pretende pensar um sujeito que, para emancipar-se, precisa abrir mão da autonomia. O transexual é hoje um gênero ininteligível no aspecto sociocultural, um sujeito anulado em sua expressão de identidade, esse corpo estranho, abjeto, incomoda e perturba, já que o significado cultural dado pelo meio não condiz com o que ele sabe de si, sua construção ideológica é atravessada por essa estranheza. Ao perceber-se transexual, à medida que se encontra fora da dicotomia normativa ele precisa abdicar de sua autonomia, para permitir-se diagnosticar e assim ser “colonizado” pelo biopoder institucional. / This work intends to think a human being who, to emancipate herself/ himself, needs to give up autonomy. The transsexual is now an unintelligible genre when it comes to the socio-cultural aspect, a subject annulled in its identity expression, this unfitted body, object, bother and disturb, since the cultural significance given by the social environment dismisses what he knows about himself/ herself, his/ her ideological construction is crossed by a strangeness. By the moment s/he perceives himself/herself transsexual, as s/he is outside the standard dichotomy, s/he faces the necessity of abdicating his/her autonomy, in order to allow self diagnosis and, therefore, be “colonized” by the institutional biopower.

Entrar