Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 997

Sexualidade humana: redundância necessária ou prejudicial?

Título: Sexualidade humana: redundância necessária ou prejudicial?
Autor(es): F. J. J. Viola
Ano: 2009
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 20
Número: 1
Páginas: 29-38
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 2236-0530
Palavras-chave: sexualidad; sexualidad humana; lenguaje; sexología; sexualogia; sexualidade; sexualidade humana; linguagem; sexología; sexuality; human sexuality; language; sexology
Língua: Spanish

Resumo: Este trabajo plantea como hipótesis que la sexualidad es sólo humana. Por lo tanto, la expresión sexualidad humana, muy utilizada en ciertas referencias científicas de la especialidad como también de otros grupos, es perjudicial para el desarrollo de una ciencia particular. Esto es porque propone como válida una vieja confusión de restringir al sexo la complejidad de la experiencia/fenómeno y vivencia que implica la sexualidad. Por ello este trabajo presenta argumentaciones contra el uso de la redundancia de “sexualidad” + “humana”, considerando que es un freno para el desarrollo de una ciencia de la sexualidad. En otros términos, argumenta a favor de la idea de que no existe otra sexualidad que la humana. Proponemos también una posición epistemológica sobre la necesidad de desarrollar una ciencia particular de la sexualidad. ; Este trabalho pranteia que a sexualidade é só humana e por tanto a expressão sexualidade humana, que é muito utilizada em certas referencias cientificas da especialidade como também de outros grupos que trabalham com este tema é muito prejudicial para o desenvolvimento de uma ciência particular, já que propõe como válida uma velha confusão de restringir ao sexo a complexidade da experiência/fenômeno e vivencia que implica a sexualidade. Por isto este artigo apresenta argumentações contra o uso da redundância de “sexualidade” + “humana” considerando que a mesma é um freio para o desenvolvimento de uma ciência da sexualidade. Em outros termos, argumentamos a favor da idéia que não existe outra sexualidade que a humana. Propomos, também, uma posição epistemológica sobre a necessidade de desenvolver uma ciência particular da sexualidade. ; The hypothesis proposed by this work is that sexuality is only human. That is why the expression human sexuality, frequently used in scientific references of the speciality as well as of other groups, goes against the development of a particular science. That is because it proposes as valid an old confusion of reducing the complex life experience/phenomenon that sexuality means, to just sex. That is the reason why this work presents argumentations against the redundancy of human +sexuality, considering it an obstacle to the development of a science of Sexuality. In other words, it argues in favor of the idea that it does not exist other sexuality than human. We also propose an epistemological position about the necessity of developing a particular science of Sexuality.

Entrar