Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 997

Manifestações da sexualidade das diferentes fases da vida

Título: Manifestações da sexualidade das diferentes fases da vida
Autor(es): N. Vitiello and I. S. C. Conceição
Ano: 1993
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 4
Número: 1
Páginas: 47-59
Tipo de Artigo: Opinião
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: A sexualidade, entendida a partir de um enfoque amplo e abrangente, manifesta-se em todas as fases da vida de um ser humano e, ao contrário da conceituação vulgar, tem na genitalidade apenas um dos seus aspectos, talvez nem mesmo o mais importante. Dentro de um contexto mais amplo, pode-se considerar que a influência da sexualidade permeia todas as manifestações humanas, do nascimento além a morte. No entanto, durante a maior parte da história da humanidade, essa influência foi negada, em especial entre os povos ligados às tradições judaicas e cristãs, na assim denominada “civilização ocidental”. O curioso desse evento é que na tradição bíblica mais antiga que conhecemos, a tradição, javista (aproximadamente 950 a.C.), não existe nenhum desprezo pela natureza sexual do homem. De fato, a leitura do Gênesis permite a interpretação de que a sexualidade está ali exposta apenas como mais um aspecto da vida, nem inferiorizado nem enaltecido em relação a qualquer outro. Assim, uma exegese mais isenta apresenta, como motivação divina para a criação da mulher, apenas a atenuação da angústia da solidão vital do homem. No entanto, a interpretação patrística da Bíblia, que durante séculos tanto influenciou nossa cultura, considera o sexo como um mal necessário, admissível apenas por ser indispensável à reprodução da espécie. Inaugurou-se, a partir dessa interpretação, a confusão entre sexualidade e genitalidade que perdura até nossos dias. Dentro da necessariamente superficial análise que ora vamos empreender, tentaremos manter centrada a abordagem mais ampla da sexualidade. Na medida do possível, evitaremos resvalar para o enfoque mais restrito da mera genitalidade. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar