Infrequent orgasms in womens

Título: Infrequent orgasms in womens
Autor(es): L. M. d. Silva
Ano: 1993
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 4
Número: 2
Páginas: 215-217
Tipo de Artigo: Resumo Comentado
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: Os autores pesquisaram uma amostra de 2.425 pacientes ginecológicas, com idade entre 21 e 40 anos a casadas por pelo menos há um ano, três grupos foram selecionados de acordo com a frequência dos orgasmos coitais. A média de idade nestes três grupos foi de 28 e 29 anos, e a média de duração dos casamentos variava entre 6 e 7 anos. O primeiro grupo, orgástico, contendo 1.266 (52,2%) mulheres; o segundo grupo contendo 466 (19,2%) mulheres com orgasmos não frequentes, e o terceiro grupo contendo 151 (6,2%) mulheres cujos orgasmos não frequentes eram sentidos pelas examinadas como “distressing”2. Pode ser esperado que estas mulheres tenham atingido um completo desenvolvimento do potencial orgástico. Não é surpresa que ao comparar os resultados dos exames sexológicos das mulheres orgásticas com aquelas que raramente atingiram orgasmo, os autores tenham achado diversas diferenças, estatisticamente significantes. Nas pesquisadas classificadas em orgasmos não frequentes e o grupo de orgasmo não frequente “distressing”, a menarca veio mais tarde, elas eram mais velhas quando tiveram a primeira relação sexual, o número de parceiros íntimos antes do casamento era baixo, a atividade coital no casamento era menos frequente, e a iniciativa sexual era iniciada quase somente pelos homens. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar