Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 997

Ações contra homofobia: em projetos de formação continuada de educadores

Título: Ações contra homofobia: em projetos de formação continuada de educadores
Autor(es): M. N. D. Figueiró
Ano: 2007
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 18
Número: 2
Páginas: 457-469
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: formação de educadores sexuais; homofobia; homossexualidade; education of sexual educators; homofobia; homosexuality
Língua: Portuguese

Resumo: O presente texto aborda a experiência em formação de educadores sexuais, na Universidade Estadual de Londrina (UEL) - PR, destacando-se o período de 2006 a 2007, no qual o projeto de extensão ampliou-se, unindo- se ao Programa Brasil Sem Homofobia (MEC/SECAD, de Brasília). Desta forma, Grupos de Estudos sobre Educação Sexual (GEES), desenvolvidos desde 1995, passaram a ser reforçados por outras ações, quais sejam: assessoria aos profissionais já formados pelo GEES; realização de eventos sobre a temática, a fim de aprofundar o aprendizado e possibilitar a proximidade dos integrantes com homossexuais militantes e, ainda, sensibilizar outros para o combate à homofobia;  realização de oficinas sobre diversidade sexual nas escolas; publicação e distribuição gratuita de livros sobre o tema. Inserida numa perspectiva de Educação Sexual emancipatória, a experiência tem sido uma clara demonstração do quanto o ensino sobre a sexualidade necessita estar vinculado a lutas sociais, entre essas, a luta contra a opressão, a discrimi- nação e a violência. ; This text deals with the experience in educating sexual educators, at the State University of Londrina (UEL) - PR, especially in the period from 2006 to 2007 in which the community project was expanded, joining the Programa Brasil Sem Homofobia (Program Brazil Without  Homophobia) (MEC/SECAD, from Brasília). In this way, Study Groups on Sexual Education (SGSE), developed since 1995, were strengthened by other actions, such as: assistance to professionals who had already taken part in the SGSEs; organization of events on the theme in order to deepen learning as well as to enable participants' proximity with homosexuals and also to touch others to struggle against homophobia; organization of workshops on sexual diversity in schools; publishing and free distribution of books on the theme. Inserted in an emancipatory Sexual Education perspective, the experience has been a clear demonstration of how the teaching about sexuality needs to be linked to social struggles, having among them the struggle against oppression, discrimination and violence.

Entrar