Uso de instrumentos psicológicos para avaliação e processo terapêutico em sexualidade

Título: Uso de instrumentos psicológicos para avaliação e processo terapêutico em sexualidade
Autor(es): O. M. Rodrigues Jr.
Ano: 2009
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 20
Número: 1
Páginas: 130-135
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 2236-0530
Palavras-chave: avaliação psicológica; psicoterapia sexual; psychological evaluation; sexual psychotherapy
Língua: Portuguese

Resumo: Apontamos o uso de testes psicológicos e questionários, inventários e escalas sexológicas para a avaliação e tratamento em sexualidade. Descrevendo o desenvolvimento de Inventários de Sexualidade específicos para disfunções sexuais masculinas e femininas, referimos outros questionários e escalas de utilidade para a avaliação psicossexológica de queixas sexuais. As finalidades do uso de testes e questionários são apresentadas: - permitir um diagnóstico de aspectos psicológicos; - permitir o planejamento do processo psicoterápico; - permitir reconhecer outros problemas sexuais além da queixa específica; - servir de base para avaliar a psicoterapia sexual a ser seguida; - facilitar a adesão do paciente ao processo psicoterápico. Concluímos que o uso de testes, questionários ou inventários não deve ser feito sem uma concepção teórica subjacente, sem a concomitante avaliação por entrevista, devendo ser parte integrante de um processo psicoterápico que o valide. ; We point out the use of psychological tests and questionnaires, sexological scales and inventories for evaluation and treatment in sexuality. Describing the development of a series of Sexuality Inventories specifically used in male and female sexual dysfunctions, we refer to the other questionnaires and sexual scales useful for the psychosexological evaluation of sexual complains. The aim of the use of questionnaires and tests are presented: - to allow a diagnosis of psychological aspects; - to allow planning psychotherapeutic process; - to allow recognize other sexual problems besides the main complain; - permit a way to evaluate the sexual psychotherapy to be followed; - to easy adhesion to the psychotherapeutic process. We conclude that the use of tests, questionnaires and inventories can not be done without a underlying theoretical support, nor without a concomitant interview, and be part of a psychotherapeutic process that validate this use.

Entrar