Tratamento da anorgasmia

Título: Tratamento da anorgasmia
Autor(es): F. Z. C. Marques and F. Z. C. Marques
Ano: 2005
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 16
Número: 1
Páginas: 73-77
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: orgasmo feminino; disfunção sexual; medicamentos; female orgasmo; sexual dysfunction; pharmacological agents
Língua: Portuguese

Resumo: O orgasmo é uma sensação de prazer intenso acompanhado por contrações da musculatura circunvaginal pélvica, uterina/anal e miotonia que determina a vasocongestão induzida  sexualmente, levando ao bem-estar e satisfação. A anorgasmia, o segundo problema sexual mais frequentemente relatado entre mulheres, é considerada um atraso persistente ou recorrente na falta de orgasmo seguida uma fase de excitamento sexual que causa aflição marcante ou dificuldades interpessoais (DSM-IV). A pesquisa do resultado do tratamento empírico é avaliada pela abordagem farmacológica e pelo comportamento cognitivo. A terapia comportamental cognitiva para a anorgasmia promove mudanças de atitude e do pensamento sexual, redução da ansiedade usando exercícios comportamentais como a masturbação direta e o tratamento de dessensibilização sistemática, assim como a educação sexual, exercícios de Kegel e uso de vibradores. Até agora, não existem medicamentos (p.ex., bupropiona, l-arginina e sildenafil) que tenham provado ter efeito benéfico maior que o de placebos no aumento da função orgásmica em mulheres com anorgasmia. Mais pesquisas são necessárias no entendimento da conduta de mulheres com disfunção orgásmica. ; Orgasm is a feeling of intense pleasure accompanied by pelvic striated circumvaginal musculature and uterine/anal contractions and myotonia that involves sexually-induced vasocongestion, inducing well-being and contentment.  Female Orgasmic Disorder, the second most frequently reported women's sexual problem is considered to be the persistent or recurrent delay in, or absence of orgasm following a normal sexual excitement phase that causes marked distress or interpersonal difficulty (DSM-IV). Empirical treatment outcome research is available for cognitive behavioral and pharmacological approaches. Cognitive-behavioral therapy for anorgasmia promotes attitude and sexually-relevant thought changes and anxiety reduction using behavioral exercises such as directed masturbation and systematic desensitization treatments as well as sex education, communication skills training and Kegel exercises. To date there are no pharmacological agents trials (i.e., bupropion,  l-arginine,  and sildenafil) proven to be beneficial beyond placebo in enhancing orgasmic function in women diagnosed with Female Orgasmic Disorder. More research is needed in understanding management of women with orgasmic dysfunction.

Entrar