Sexualidade humana: o despedir-se de uma visão puramente mentalista através do novo paradigma da corporeidade viva

Título: Sexualidade humana: o despedir-se de uma visão puramente mentalista através do novo paradigma da corporeidade viva
Autor(es): M. C. d. S. d. Albuquerquer
Ano: 1995
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 6
Número: 1
Páginas: 45-50
Tipo de Artigo: Opinião
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: O ser humano sempre teve dificuldade em ver claramente e sem preconceitos seu próprio corpo. De maneira geral, sempre houve uma tendência em explicar o corpo não como uma unidade integral mas como composto de duas partes diferentes: uma parte física (material) e uma alma (espiritual e consciente). Essa visão dualística do corpo, assume uma dupla separando a mente do corpo. O sujeito, antes de ser um “ser que conhece”, é um “ser que vive e sente”, que é a maneira de participar, pelo corpo, do conjunto da realidade. Pelo corpo, me engajo diante do real de inúmeras maneiras possíveis: por meio do trabalho, da arte, do amor, do sexo, da ação em geral. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar