Sexualidade em instituições fechadas

Título: Sexualidade em instituições fechadas
Autor(es): R. Moura
Ano: 1995
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 6
Número: 2
Páginas: 204-209
Tipo de Artigo: Trabalhos de Atualização e Opinativos
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: Em 1986 a Comissão Nacional de Sexologia da Febrasgo reuniu alguns dos melhores trabalhos apresentados nos II a III Encontros Nacionais de Sexologia, realizados respectivamente no Rio de Janeiro, em 1984 e Belo Horizonte, em 1985, na publicação intitulada Sexologia-II, compilados por seu então vice-presidente Dr. Nelson Vitiello. Dentre aqueles trabalhos, podemos encontrar um que atraiu a nossa especial atenção em virtude de termos encontrado um conceito do significado de “Instituições Fechadas”, realizado por Isméri Conceição que afirma: “Uma instituição fechada se constitui de um grupo dirigente que é responsável pela manutenção de ‘fechada’ e um grupo de internos que se submetem à situação de ‘fechado’. O grupo dirigente atribui aos internos características específicas que diferem daquelas aceitas para os outros grupos da sociedade. Dentre as características, está a ausência de sexualidade dos internos”. A partir deste conceito, procuramos saber o que ocorria dentro de uma das instituições religiosas - se é que assim podemos chamar - como a Igreja Católica, cujas doutrinas de alguma maneira estão inseridas no aspecto cultural de nossa sociedade. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar