Saúde sexual: a medicalização da sexualidade e do bem-estar

Título: Saúde sexual: a medicalização da sexualidade e do bem-estar
Autor(es): A. Giami
Ano: 2007
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 18
Número: 1
Páginas: 263-277
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: saúde sexual; saúde pública; formação de profissionais de saúde; sexual health; public health; sexual dysfunction; training of health professionals
Língua: Portuguese

Resumo: O conceito de saúde sexual, desenvolvido a partir de 1975 por ocasião de uma conferência organizada pela OMS, é atualmente usado como fundamento para a criação de programas de saúde pública em inúmeros países. O artigo inclui uma revisão histórica dos diferentes documentos elaborados pelas organizações internacionais e pelos serviços de saúde de diferentes países. Essas análises mostram que o conceito de saúde sexual adquire diferentes significações de acordo com os contextos políticos e culturais nos quais ele é usado. Os documentos analisados colocam em evidência que de acordo com o contexto uma maior ênfase é dada à responsabilidade individual ou ao desenvolvimento de serviços de saúde apropriados. Enfim, o conceito de saúde sexual permite de organizar as intervenções em saúde sexual de acordo com as competências dos diferentes profissionais da saúde. ; The concept of sexual health, which was developed at a 1975 conference of the World Health Organization (WHO), is currently being used to set up nationally based public health programs in various countries. I analyze the history of the concept of sexual health since its emergence in 1975, and make a comparative analysis of the contemporary documents dealing with sexual health generated in the U.S. and England, and by organizations such as the WHO and the Pan American Health Organization (PAHO). The conceptions of sexual health remain embedded in national and political contexts. Conceptions for sexual health appear to be the result of political compromises and take place in the public health culture and practice of each country. Depending  on the context, these different initiatives focus either on individual responsibility or on an appropriate  sexual health services organization,  and sexual health may be conceived as an ideal state of well-being or as the reduction  of negative consequences of sexual activity.

Entrar