Potência máxima: compreendendo a sexualidade masculina

Título: Potência máxima: compreendendo a sexualidade masculina
Autor(es): H. Okawara
Ano: 2006
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 17
Número: 2
Páginas: 275-281
Tipo de Artigo: Artigos Opinativos e de Atualização
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: sexualidade masculina; pênis; ereção; repressão sexual; ansiedade sexual; male sexuality; penis; erection; sexual anxiety; sexual repression
Língua: Portuguese

Resumo: Poucas coisas proporcionam tanto orgulho e satisfação ao homem adulto - sobretudo se está excitado e diante da mulher amada - que sentir seu pênis flácido tornar-se enorme, rígido, poderoso. Resultado de rápido e eficiente remanejamento de fluxo sanguíneo, a ereção altera de maneira impressionante a anatomia de seu órgão sexual, que se torna o maior dentre as 193 espécies de primatas até hoje conhecidas. Contemplar este órgão em sua máxima potência é, seguramente, evento que a maioria dos homens gostaria de ver repetido muitas  vezes em suas vidas, seja para expressar amor, gerar filhos ou por puro prazer. Mas, o Homo Sapiens , que também se vangloria de possuir o maior e mais eficiente cérebro dentre todos os primatas, tem o hábito de se entreter com complexas cogitações sobre seu próprio comportamento. Talvez por isso, muitos homens despendem tempo enorme se debatendo num angustiante conflito: por um lado, contemplam o próprio pênis como se fosse a fonte dos momentos mais prazerosos de suas vidas, e por outro, o culpam como se fosse a causa de seus vexames e frustrações. Observações clínicas revelam que os sentimentos ambivalentes que os homens experimentam em relação ao seu desempenho sexual podem comprometer, em grande medida, sua autoconfiança, seu ajustamento social e sua eficiência profissional. ; Few things give such pride and satisfaction to the adult man - mainly if he is aroused and in the presence of the woman he loves - than to feel his flacid penis turning  big, hard, powerful. Outcome of rapid and efficient blood flow rerouted, the erection changes in a very impressive way the anatomy of his organ, that becomes the biggest among the 193 species of primates known until today. Watching  this organ at its maximum potency is, surely, an event that most men would like to see repeated many times in their lives, simply  to show love, to pass the genes or for pure pleasure. But, the Homo Sapiens, who also brags about having the biggest and the more efficient brain among all primates, has the habit of entertaining himself with complex cogitations about his own behavior. Maybe because of this, many men spend much of their existence debating on a distressing conflict: on one side, watching their own penis as if it were the source of the most pleasurable moments of their lives, and on the other hand, blaming it as if it were the cause of their shame and frustrations. Clinical observations proves that the ambivalent feelings men have about their sexual performance can jeopardize, in great measure, their self-confidence, social adjustment and professional efficiency.

Entrar