Para um repensar da ética sexual cristã na pós-modernidade: educar o humano superando a tirania do prazer e do corpo fragmentado

Título: Para um repensar da ética sexual cristã na pós-modernidade: educar o humano superando a tirania do prazer e do corpo fragmentado

Autor(es): A. L. B. d. Almeida

Ano: 2010

Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana

Volume: 21

Número: 2

Páginas: 69-82

Tipo de Artigo: Artigos Opinativos e de Revisão

ISSN: 2236-0530

Palavras-chave: corpo; pós-modernidade; prazer; sexualidade; educação; body; post-modernity; pleasure; sexuality; education

Língua: Portuguese

Resumo: A relação entre corpo, sexualidade e religião nem sempre gozou de muita harmonia e simplicidade em sua relação. Historicamente houve muitos desentendimentos devido ao paradigma antropológica dualista que imperou no Ocidente cristão. Com a modernidade e agora na pós-modernidade, muitos destes paradigmas se tornaram ultrapassados e envelhecidos. O ensinamento oficial da Igreja Católica nem sempre conseguiu com o seu “magisterium” uma abertura no trato do tema. Urge um repensar de  uma ética  sexual cristã num  contexto de fragmentações e reducionismos éticos. Mais que resgatar uma compreensão integral da sexualidade humana, vimos por necessário aqui, uma mudança de mentalidade acerca do ser humano, propondo a este, hoje, uma superação da tirania do prazer e do corpo fragmentado. ; The relationship between body, sexuality and religion has not always been harmonious and natural. Historically there has been many misunderstandings due to the dualistic anthropological paradigm that reigned in the Christian West. With the coming of modernity and now post modernity, many of these paradigms have become outdated and superseded. The official teaching of the Catholic Church does not always succeed with it’s magisterium to dialogically address the topic. It is urgent to rethink Christian sexual ethics in a context of ethical reductionism and fragmentation. More than redeeming a full understanding of human sexuality, we need here a change of mindset about the human being; we propose the overcoming of the tyranny of pleasure and of fragmented body.

Entrar