Os profissionais da saúde e da educação sexual

Título: Os profissionais da saúde e da educação sexual
Autor(es): G. P. Lopes, L. G. d. Nascimento and W. C. Rezende
Ano: 1992
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 3
Número: 1
Páginas: 23-26
Tipo de Artigo: Opinião
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: As dificuldades encontradas pelo profissional de saúde relativas à educação em sexualidade de seus clientes são óbvias a parter.i do fato de que durante a sua graduação e pós-graduação pouca ou nenhuma formação foi oferecida a ele. Acrescido a este fato obser- vamos uma inabilidade em lidar com a sua sexualidade. É a velha história: “como ouvir o outro se não sou capaz de me ouvir?”. Por outro lado, este se vê cada vez mais pressionado a dar alguma ajuda a um cliente ou casal com inadequação sexual ou com dúvidas em orientação sexual a seus filhos. Em resumo, “conflitos emocionais sérios, angústias, sentimentos de culpa a repressões são, muitas vezes, diretamente decorrentes da ignorância e/ou das vivências do profissional no que concerne à sua própria sexualidade. Lamentavelmente, ao invés de orientarem no sentido libertador da palavra, transmitem a reforçam preconceitos enraizados em nossa sociedade” (FUCS, G.).Portanto, os profissionais de saúde devem ou não abordar as queixas sexuais? Seriam ajudadores efetivos ou agentes iatrogênicos? (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar