Efeitos colaterais dos antidepressivos sobre a sexualidade

Título: Efeitos colaterais dos antidepressivos sobre a sexualidade
Autor(es): J. D. d. Nascimento Filho
Ano: 2006
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 17
Número: 1
Páginas: 53-80
Tipo de Artigo: Artigos Opinativos e de Atualização
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: antidepressivos; efeitos adversos; sexualidade; efeitos de drogas; antidepressants; side effects; sexuality; drugs effects
Língua: Portuguese

Resumo: Em pesquisa bastante ampla procuramos fazer uma revisão da literatura o mais completa possível. Embora a quantidade de trabalhos publicados seja muito grande, admitimos que haja um déficit considerável, visto que a maioria  das pesquisas se resume em apresentação de casos isolados ou em pequenas séries. Considerável quantidade de trabalhos é em aberto e alguns poucos são placebo-controlados aleatórios com a comparação duplo-cego. Fizemos um estudo da função sexual e seu envolvimento com o uso dos antidepressivos, da fisiopatologia envolvida e da conduta para tentar resolver o problema. Foram feitas também considerações sobre os vários antídotos usados no tratamento e sobre alternativas terapêuticas. Concluímos que, apesar dos inúmeros trabalhos publicados, há necessidade de mais pesquisas com trabalhos placebo-controlados duplo-cego aleatório e com o uso rigoroso de escalas padronizadas que investiguem os parâmetros depressivos e as alterações da função sexual relacionada com o uso dos antidepressivos. ; In an extensive bibliographic search, we tried to make the review of the sexual side effects of anti-depressive  medication  as complete as possible. Although the amount of published  studies is large, we admit there is a considerable shortage, in as much as the majority of investigations are condensed in presenting isolated cases or small series. A considerable amount of studies are open label, and a few are double blind, randomized, placebo- controlled. We did a study of the sexual function and its involvement with the use of anti-depressive medication, the involved physiopathology, and the procedure that attempts to solve the problem as best as possible. Also some consideration was given to the several antidotes employed in the treatment, and other therapeutic alternatives. We concluded that despite innumerable published studies, more research is needed with double blind, randomized, placebo-controlled trials and with rigorous rating scales that look for the depressive parameters and the sexual function disturbance related to the use of anti-depressive medication.

Entrar