Editorial RBSH 16(1) 2005

Título: Editorial RBSH 16(1) 2005
Autor(es): J. Brendler
Ano: 2005
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 16
Número: 1
Páginas: 19-21
Tipo de Artigo: Editorial
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: Fico feliz ao lhes apresentar uma edição especial, em dois números, da nossa querida RBSH, revista oficial da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH), que é exclusivamente sobre os temas oficiais discutidos no X Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana, realizado em Porto Alegre, de 15 a 17 de Setembro de 2005, e que foram redigidos pelos palestrantes do evento, que aceitaram o convite de registrar o seu conhecimento sobre as diversas áreas da sexualidade, nessa publicação. Essa edição somentefoi possível graças ao balanço positivo da administração realizada no biênio 2003-2005  e por mim presidida que está deixando na conta bancária da SBRASH quase quatro vezes o valor recebido, no início do referido mandato. Durante o ano de 2004 e 2005, além de montar a sede da SBRASH em Porto Alegre, na Av. Carlos Gomes, 328 - sala 403, realizamos inicialmente a criação de um novo site, novo em design e em conteúdo, o que fez o site registrar 38 mil acessos mensais.  No site as áreas que beneficiavam diretamente os associados foram constantemente atualizadas, sendo elas a área Sócios por região que contém o nome e o telefone dos associados quites com a anuidade, a Agenda com os cursos realizados ou apoiados bela SBRASH em todo o Brasil, o BIOL (Boletim de Informação On-line) redigidos pelo Dr. Martin Portner e pela Psic. Vera Vaccari. A Internet, que desde a gestão anterior, já era o carro chefe da SBRASH continuou sendo o meio de comunicação oficial e preferencial com os associados, via e-mail e via site, por ser um meio rápido e eficaz, uma vez que essa sociedade tem filiados em vários estados do território nacional; no site, ainda visando destacar os associados titulados, foi criada a área do TESH (Título de Especialista  em Sexualidade Humana). Nesse período, filiaram-se à Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH) 93 pessoas, foram concedidos 9 TESH em Educação Sexual e 49 em Terapia Sexual e que estão publicados no site, além dos aprovados no II Concurso TESH, realizado no X Congresso. Em 2004, a SBRASH publicou o Boletim/2004, impresso  com as principais novidades da sociedade e o nome dos novos 33 delegados regionais,  os 16 nomeados para o Conselho Científico e os integrantes do Comitê  de Ética e Fiscal. A SBRASH se reintegrou  ao quadro  da FLASSES (Federação Latino - Americana das Sociedade de Sexologia e Educação Sexual) através da quitação do seu débito e se filiou  a WAS  (World  Association for Sexual Health). Desde outubro de 2004, por ocasião do último Congresso Latino Americano no Chile, a FLASSES valida o TESH (Título de Especialista  em Sexualidade Humana) conferido pela SBRASH. Na minha gestão, foram pagas a publicação  de 3 revistas (RBSH), sendo que duas referentes a 2003, volume 14, Nº 1 e 2, e uma  revista  referente  a 2004 (Nº 1, volume 15), e com o esforço da diretora Ana Cristina  Canosa, a RBSH foi indexada ao Índex Psi; A RBSH já possuía indexação à Edubase /UNICAMP, conquista  realizada pela gestão anterior. O Conselho Deliberativo em reunião determinou que a SBRASH, por ser uma sociedade científica  e não uma universidade  devia ater-se a cursos e congressos de atualização científica, desistindo da Pós-Graduação, ficando assim decidido pelo Distrato do convênio com o ISEXP e com a Fundação Faculdade de Medicina do ABC, tendo sido este ato por mim  assinado, no mês de novembro de 2004,  retroativo ao mês de setembro de 2004.  Neste documento, ficou previsto que a SBRASH, através da sua presidente, continuaria assinando, junto com a Fundação de Medicina do ABC, todos os certificados dos alunos de Pós-graduação, que estavam matriculados na mesma, até o mês de setembro de 2004, o que foi cumprido  pela minha pessoa. A lista dos alunos que frequentaram o antigo Curso de Pós-graduação e que não retiraram o seu diploma, que foi revalidado pela anterior gestão da SBRASH, junto ao MEC, foi publicado na RBSH de 2004 (Nº 1, volume 15) e ainda consta no site da SBRASH, na área Cursos. Cumprindo um compromisso firmado durante  a gestão do Presidente anterior, do Sr. Márcio Schiavo, foram confeccionadas 183 carteirinhas de associados, trabalho esse realizado sob a supervisão da Dra. Simone Chedid. A SBRASH envolveu-se com 18 eventos científicos - todos publicados na Agenda do seu site, sendo os associados notificados  através de e-mails, 9 foram realizados pela SBRASH, 3 foram  parcerias  e 6 foram  apoiados  pela SBRASH, todos com descontos aos filiados,  o que é apenas uma  das muitas vantagens de ser associado da SBRASH. No ano de 2005, foi defendida pela minha pessoa, em Montreal, a candidatura brasileira da SBRASH, visando sediar o Congresso Mundial  de Sexologia, de 2009,  na cidade de Recife. Essa proposta surgiu do interesse do Dr. Oswaldo Rodrigues Jr. e da minha pessoa em projetar os profissionais brasileiros  e a SBRASH em âmbito internacional e contou com o apoio do Governo Federal, através da EMBRATUR e do Recife Convention  & Visitors Bureau. Anterior  ao X Congresso, foi realizada a Assembleia Geral Ordinária  da SBRASH, que aprovou o relatório de atividades desenvolvidas no biênio 2003-2005, o balanço financeiro positivo da entidade, elegeu a cidade de Recife como sede do XI Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana e a Psic. Maria do Amparo Caridade, como sua presidente. Dia 14 de setembro a referida assembleia também elegeu uma nova diretoria composta de 7 membros presidida pela Dr. Oswaldo Rodrigues Jr. e um novo conselho deliberativo também com 7 membros. O X Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana contou com 444 inscritos que enriqueceram as discussões sobre a exposição dos 120 speakers nacionais e 4 internacionais   e realizou  o II Concurso  do TESH, cujos aprovados tiveram seu nomes publicados  na área TESH do nosso site. Durante os 3 dias do X Congresso houve 17 conferências, 35 painéis, 2 cursos, 1 Workshop e 1 oficina de teatro, além de 16 trabalhos envolvendo Teses, Dissertações, Monografias e Projetos; 58 temas livres e 16 pôsteres. Os melhores trabalhos receberam o Prêmio  SBRASH  2005 que foi entregue a Sheila Reis por Dissertação na Área Educacional,  a Heléia C. de David por Monografia na área Assistencial/Clínica e ao Cláudio  Pozzatti por Monografia na área Educacional. O sucesso científico e financeiro do X Congresso contou com a colaboração e os incentivos da comissão científica e de organização, bem como as importantes parcerias realizadas com os Laboratórios: Pfizer, Lilly, Jansen, Herbarium, Bayer, Shering do Brasil, SB Jaynco e Igefarma. Agradeço de coração a todos que contribuíram com o árduo e gratificante trabalho realizado na minha gestão e que levou à maior solidificação da SBRASH como sociedade científica em âmbito nacional e internacional.

Entrar