Critérios diagnósticos para ejaculação precoce: uma revisão bibliográfica

Título: Critérios diagnósticos para ejaculação precoce: uma revisão bibliográfica
Autor(es): I. Finotelli Jr.
Ano: 2013
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 24
Número: 2
Páginas: 121-134
Tipo de Artigo: Trabalhos de Pesquisa
ISSN: 2236-0530
Palavras-chave: ejaculação precoce; revisão sistemática; disfunção sexual; premature ejaculation; systematic review; sexual dysfunction
Língua: Portuguese

Resumo: As pesquisas sobre a ejaculação precoce (EP) são dificultadas pela falta de consenso sobre quais critérios a definem como uma disfunção. Observa-se que a mesma dificuldade é encontrada para sua nomenclatura e também que critérios comuns, mas com diferenças substanciais, são propostos pelos sistemas de classificação de doenças. Nesse sentido, este estudo identificou e comparou os critérios utilizados nas pesquisas publicadas em artigos, nas bases de dados Science Citation Index, MEDLINE, PsycInfo, LILACS, SciELO, CLASE. As buscas partiram de palavras-chaves e o período de revisão foi de 2000 a 2013. Os resultados apresentaram um número expressivo de artigos, mas foram considerados aqueles cuja investigação fosse primária utilizando metodologia científica. Observaram-se quatro critérios principais utilizados que apresentaram diferenças significativas nessa avaliação. O primeiro trata-se do tempo ejaculatório, caracterizado como uma mensuração objetiva e útil para triagens, porém sem consenso sobre sua estimativa. O segundo, o senso de controle, apresentou resultados expressivos, todavia caracterizado como uma medida subjetiva. Pesquisas relacionadas a ele demonstraram que homens sem EP relataram um controle bastante elevado sobre a ejaculação em comparação a homens com tempos curtos de latência ejaculatória. Os dois últimos critérios foram a satisfação sexual e o sofrimento, não sendo específico da EP e presentes em todas as disfunções sexuais. Para ambos, a insatisfação foi relatada na existência de uma EP, geralmente, acompanhada de incômodo e dificuldades interpessoais. Os dados apresentados organizaram de maneira sistemática os critérios utilizados na avaliação da EP, uma compilação útil para diferentes frentes de pesquisa. / Researches on premature ejaculation (PE) are hardened by not having a criteria consensus defining them as a disorder. Observing that the same difficulty is found on the nomenclature and also on ordinary criterias, but with substantial differences which are proposed by the disease classification systems. Thus, this study has identified and compared the criteria used on the researches published in the articles on the Science Citation Index databases, MEDLINE, PsycInfo, LILACS, SciELO, CLASE. The searches that started from keywords and the review period were from 2000 to 2013. The results have shown a significant number of articles, but only had been considered those which the investigation was based on an empirical data by using scientific methodology. There were four main criteria used to show significant differences in the evaluation. The first was the ejaculatory latency, defined as an objective measurement and useful for screening, but having non consensus about its estimate. Second, a sense of control, presented significant results, however defined as a subjective measure. Searches related to it has shown that men without PE had reported a very high control over ejaculation compared to men with short ejaculatory latency time. The last two were sexual satisfaction and distress, not being specifically EP and present in all sexual dysfunctions. For both, dissatisfaction was reported on the existence of an EP, usually accompanied by uncomfortable and interpersonal difficulties. The presented data has organized in a systematic way the criteria used when evaluating the EP, an useful ompilation for different research fronts.

Entrar