Crenças dos universitários sobre práticas e comportamentos sexuais orais e a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana - I

Título: Crenças dos universitários sobre práticas e comportamentos sexuais orais e a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana - I
Autor(es): E. Gir, T. M. Moriya, M. A. d. C. Figueiredo, G. Duarte and M. J. d. Carvalho
Ano: 1997
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 8
Número: 2
Páginas: 293-307
Tipo de Artigo: Trabalhos de Pesquisa
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: infecção pelo HIV-1; práticas sexuais; educação, universitários; sexo oral
Língua: Portuguese

Resumo: Os objetivos desta investigação foram avaliar as crenças acerca dos graus e riscos de contaminação pelo vírus da imunodeficiência humana tipo I (HIV-l), atribuídos pelos universitários a diferentes práticas/comportamentos sexuais orais em relação à infecção pelo HIV-1 e compará-las com a atribuição feita pelos especialistas em AIDS. Foi aplicado um questionário, composto por 5 itens em Escala de Probabilidade do Tipo Likert, referentes a práticas/hábitos sexuais orais a graduandos dos cursos de Enfermagem, Medicina, Psicologia e Farmácia-bioquímica, que aquiesceram em respondê-lo. Através de análise fatorial, usando-se o Sistema Varimax de Rotação, esses itens constituíram um Fator denominado Fator Oral, composto por 5 itens, a saber: cunilingus (item l), felação (item 2), contato da boca com urina (item 3), analingus (item 4) a ejaculação na boca do parceiro (item 5). Em 60% dos itens, observou-se que os estudantes apresentam conhecimento compatível ao preconizado pelos especialistas. Entretanto faz-se necessária a educação continuada a estes alunos, considerando-os tanto como pessoa, como futuro profissional prestador de assistência aos indivíduos infectados pelo HIV ou com AIDS.

Entrar