Change in sexual functioning during the aging process

Título: Change in sexual functioning during the aging process
Autor(es): L. G. d. Nascimento
Ano: 1993
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 4
Número: 1
Páginas: 114-115
Tipo de Artigo: Resumo Comentado
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: O autor, através de uma revisão, mostra-nos as alterações sexuais que ocorrem na transição da vida jovem para a idosa, mostrando como uma mulher pode viver sexualmente bem 1/3 de sua vida após a menopausa e um homem até a 8ª ou 9ª década. Em ambos os sexos, a redução dos esteróides resulta em menor rapidez e em menores respostas vasculares à excitação sexual. No homem nota-se a diminuição da testosterona principalmente após os 60 anos. É citado que um nível total de testosterona abaixo de 325 mg/dl é subnormaI e garante uma prova de reposição desse hormônio por mais ou menos 2 meses para novamente se avaliar a existência dos antigos sintomas (diminuição da audição, perda do apetite, irritabilidade e queda da libido). Está confirmado que esta reposição androgênica tem somente um impacto no desejo sexual se o paciente estiver em um estado de hipoandrogenismo verdadeiro. Na fase de excitação, os homens entre 50 e 70 anos demoram de 2 a 3 vezes mais para obter uma ereção completa e rápida, necessitando de mais estímulo físico do que psicológico. Existe uma capacidade de manter essa ereção por mais tempo antes de uma ejaculação, o que algumas vezes pode não ocorrer, dando a esse homem uma nova ereção sem o período refratário que, nessa faixa etária, pode demorar de 12 a 24h. Durante o orgasmo, não se observa a sensação de inevitabilidade ejaculatória e o esperma é expelido em menor quantidade e força. Não se observa o rubor sexual característico de homens mais jovens e nem o aumento do testículo na fase de excitação. Após a ejaculação, a ereção é perdida mais rapidamente, quase imediatamente. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar