Abordagem corporal em terapia sexual

Título: Abordagem corporal em terapia sexual
Autor(es): M. d. A. R. Caridade
Ano: 1995
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 6
Número: 2
Páginas: 180-189
Tipo de Artigo: Trabalhos de Atualização e Opinativos
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: Algo de perigoso acontece quando elegemos e privilegiamos uma esfera da vida, mesmo que seja para estudá-la, para destacá-la no existir. Pinçamos uma parte do grande conjunto, e corremos o risco de deixá-la sem referência ao todo. Imagino as consequências que isso pode trazer às formas de ver, sentir e pensar as diversas dimensões do viver. Que aspectos da totalidade ficarão imolados nesse olhar micro lançado sobre a questão? Particularizando, interrogo-me se, o superdestaque concedido hoje em dia à sexualidade de forma descontextualizada, não a coloca ansiosamente em foco, a ponto de adoentalizá-la, ao invés de libertá-la? Baudrillard pensa que a sexualidade continua insegura por trás da libertação de seu discurso, e acha até que sua proliferação está próxima do total desperdício. (1) Parto dessa inquietação para considerar a importância de que a sexualidade seja pensada, inserida no viver em totalidade, isto é, que ela seja situada como um aspecto entre outros do existir humano. Magnificá-la para além de sua dimensão, fazer dela o todo, condição única de felicidade, (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar