A influência do abortamento na qualidade de vida da mulher

 

Título: A influência do abortamento na qualidade de vida da mulher
Autor(es): G. A. Araújo, L. O. Soares and P. A. S. S. Valle
Ano: 2016
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 27
Número: 2
Páginas: 41-50
Tipo de Artigo: Trabalhos de Pesquisa
ISSN: 2236-0530
Palavras-chave: abortamento; educação sexual; qualidade de vida; abortion; sexual education; quality of life
Língua: Portuguese

Resumo: O abortamento espontâneo ou provocado apresenta repercussões emocionais e físicas ambivalentes para as mulheres, afetando a qualidade de vida. Esse contexto vivenciado pela mu¬lher é permeado por sentimentos de dor, ansiedade, angústia, culpa, tristeza e baixa autoestima. Este artigo se trata de uma pesquisa qualitativa e quantitativa de levantamento de perfil de 359 mulheres usuárias de uma Clínica da Família (localizada no estado do Rio de Janeiro-RJ), mora¬doras dos bairros de Padre Miguel e Realengo, com idade média de 36 anos. Para a coleta de dados, foi utilizada entrevista semiestruturada com perguntas sobre situações socioeconômicas, saúde sexual, educação sexual, saúde coletiva, vida diária, relacionamento afetivo e a pergunta se já teve algum abortamento não era especificado se espontâneo ou provocado. A partir da análise dos questionários gerais, observou-se a necessidade de uma discussão mais ampla sobre os impactos do abortamento na qualidade de vida da mulher. Das entrevistadas, 29% relataram ter sofrido algum abortamento; dessas, foi descoberto que sofreram entre 1 a 7 episódios. Essas mulheres apresentaram pouca orientação para o uso dos métodos contraceptivos além de baixa autoestima. Uma alternativa para minimizar essa situação é a melhor aplicabilidade das políticas existentes e da reformulação necessária, para que sirva de incentivo à população a fim de ad¬quirir informação sobre saúde sexual e garantir acesso aos métodos contraceptivos e materiais educativos; além disso, promover a educação sexual aumenta o questionamento do adolescente acerca da iniciação sexual precoce e estimula a consciência dos adultos para uma tomada de de¬cisão tendo conhecimento dos possíveis danos acarretados por uma prática sexual imprudente. / The spontaneous or induced abortion has emotional and physical repercussions for women am¬bivalent affecting quality of life. This situation experienced by women is permeated by feelings of pain, an¬xiety, guilt, sadness and low self-esteem (BORSARI, 2012). This article deals with is a qualitative-quantitati¬ve research profile of women lifting users of a Family Clinic, located in the state of Rio de Janeiro-RJ. With 359 women, residents of neighborhoods Padre Miguel and Realengo, with an average age of 36 years. For data collection was used semistructured interviews with questions about socio-economic situations, sexual health, sexual education, public health, daily life, relationship. From the analysis of the general question¬naires noted the need for a broader discussion on the impact of abortion as a woman's life. Of the women interviewed, 29% reported having suffered a miscarriage, the respondents have suffered, it was discovered that they are between 1 to 7 miscarriages. These women had little guidance for the use of contraceptive methods as well as low self-esteem. An alternative to minimize this situation is the best applicability of existing and necessary reform policies, to serve as an incentive for people to get information about sexual health and ensure access to contraceptive methods and educational materials, and promote sex education increases questioning adolescents about early sexual initiation and stimulates awareness of adult decision making being aware of the potential damage posed by a reckless sexual practices.

 

Entrar