A influência da anticoncepção hormonal na sexualidade feminina

Título: A influência da anticoncepção hormonal na sexualidade feminina
Autor(es): F. R. R. Junqueira, A. C. J. d. S. R. e. Silva and R. M. d. Reis
Ano: 2008
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 19
Número: 2
Páginas: 49-57
Tipo de Artigo: Artigos Opinativos e de Revisão
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: anticoncepcionais; sexualidade; efeitos adversos; contraceptive agents; sexuality; adverse effects
Língua: Portuguese

Resumo: Os autores revisam os artigos publicados cujo objetivo principal fosse avaliar a influência da anticoncepção hormonal (AH) na sexualidade feminina. Há uma variabilidade muito grande na resposta das mulheres aos AH e ainda não há como se prever quais mulheres irão apresentar efeitos colaterais sexuais. Estes efeitos, entretanto, podem ser causa de abandono do método e, portanto, devem ser valorizados. Os AH ocasionam uma diminuição dos níveis de androgênios endógenos e, ao mesmo tempo, causam um aumento da SHBG. Essas alterações aparentemente são reversíveis após a suspensão destes medicamentos. Os AH orais contendo baixa dose de EE, 15 mcg, parecem ter um impacto negativo sobre a sexualidade, relacionado a um pior controle de ciclo e menor lubrificação vaginal. Os AH orais contendo EE 20 ou 30 mcg parecem ter boa aceitabilidade no que concerne a sexualidade. A minipílula não interfere na sexualidade feminina e o anel vaginal parece ter os melhores efeitos, aumentando as fantasias e o interesse sexual do casal. Casais com bom grau de ajustamento conjugal parecem ter maior chance de sofrer um eventual impacto negativo relacionado ao uso dos AH. ; The authors review published articles whose main objective was to assess the influence of hormonal contraception (HC) on female sexuality. There is wide variability in the response of women to HC and there is still no way to predict which women will present sexual side effects. These effects, however, may be the cause of abandonment of the method and therefore should be properly valued. HC cause a reduction of endogenous androgen levels and a concomitant increase in SHBG. These changes appear to be reversible after the discontinuation of these medications. Oral HC containing a low dose of EE, 15 mcg, seem to have a negative impact on sexuality related to a worse control of the cycle and a reduced vaginal lubrication. Oral HC containing 20 or 30 _g EE seem to show good acceptability regarding sexuality. The minipill does not interfere with female sexuality and the vaginal ring seems to have the best effects, increasing the fantasies and the sexual interest of the couple. Couples with a good degree of marital adjustment seem to have a greater chance to suffer an eventual negative impact related to the use of HC.

Entrar