A qualidade do funcionamento sexual de homens e mulheres

Título: A qualidade do funcionamento sexual de homens e mulheres
Autor(es): A. Diehl, A. Wagner and D. Falcke
Ano: 2004
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 15
Número: 1
Páginas: 39-57
Tipo de Artigo: Trabalhos de Pesquisa
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: sexualidade; qualidade do funcionamento sexual; disfunções; sexuality; quality of sexual functioning; dysfunctions
Língua: Portuguese

Resumo: A qualidade do funcionamento sexual de 626 pessoas entre 18 e 74 anos (287 homens e 339 mulheres), oriundas de 36 cidades do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, foi avaliada através do Questionário Golombok Rust Inventory of Sexual Satisfaction (GRISS). Os resultados revelaram que, mesmo tratando-se de uma amostra não-clínica, 40% dos homens apresentaram problemas de ejaculação prematura e 25,5% de disfunção erétil. No que diz respeito às mulheres, 44,9% evidenciaram dor no coito e 7,5% anorgasmia. Em outros aspectos da sexualidade, as mulheres, quando comparadas aos homens, indicaram: menor frequência de relações sexuais, maior desprazer em acariciar o corpo e os genitais do parceiro, bem como em ser acariciada; maior evitação do coito; maior tensão ou ansiedade quando o parceiro quer ter relação sexual; mais rejeição ao que é feito no coito e mais dificuldade de perguntar ao parceiro o que ele gosta na relação sexual e de explicitar suas preferências. Variáveis sócio-demográficas também estiveram associadas à sexualidade dos participantes. Entre estes: idade, escolaridade, filhos, religião, local de residência (capital e interior), trabalho, situação conjugal, tempo de convivência com o(a) parceiro(a), assim como a existência e o número de outros parceiros sexuais. ; The quality of sexual functioning of 626 participants (287 men and 339 women, aged 18 to 74) from 36 cities of the State of Rio Grande do Sul, Brazil, was evaluated through the Golombok Rust Inventory of Sexual Satisfaction (GRISS) in a non-clinical sample. Forty percent of the sampled men had premature ejaculation and 25,5% erectile dysfunction. Regarding women, 44,9% had pain during intercourse and 7,5% orgasmic dysfunction. Considering other aspects of sexuality, women, when compared to men: had lower frequency of sexual intercourse; disliked more touching and caressing the body and the genitals of their partners and having their body and genitals touched and caressed by the partners; avoided more sexual intercourse; felt more tension and anxiety when the partner wanted to have sex; expressed more rejection to what was done in coitus; and had more difficulties in asking their partners what they liked in sex or explaining their own preferences. Many sociodemographic phenomena also affected male and female sexuality. Among these factors were age, children, religion, place of residence (capital or countryside), work, marital status, and existence and number of other sexual partners.

Entrar