Nota de Repúdio

Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2016

A diretoria da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH) repudia toda e qualquer forma de discriminação, em especial a nota, cursos e/ou práticas que promovem diálogos de patologização de pessoas por suas diferentes orientações e identidades sexuais. Comumente reconhecidos com palavras de “cura” e “reversão”, esse tipo de diálogo estimula conceitos equivocados acerca da diversidade humana, fere os Direitos Sexuais pautados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e estimula o preconceito, intolerância e segregação social. Entre os diversos movimentos científicos e sociais para o processo de desconstrução da ideologia da patologização, a SBRASH, no zelo pela obediência e preservação dos valores éticos na execução das atividades especializadas no campo da sexualidade humana, torna pública sua manifestação contrária a qualquer tipo de cursos e/ou práticas que desestimulam o fortalecimento da cidadania, do respeito e do apoio às diferentes orientações e identidades sexuais. Em nome da Diretoria da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana, 

Yeda Portela
Diretora da SBRASH
Gestão 2016-2017

 

Entrar